quinta-feira, 23 de abril de 2015

TERCEIRIZAÇÃO VEJA QUEM É QUEM...




Saiba como deputados do Paraná votaram na terceirização

23/04/15 às 17:31 - Atualizado às 17:45 Redação Bem Paraná
Dos 22 deputados paranaenses que participaram da sessão de quarta-feira (23) na Câmara Federal, 14 votaram a favor e oito contra o projeto que amplia a possibilidade de terceirizações nas empresas brasileiras. A bancada paranaense na Câmara dos Deputados conta com 30 parlamentares. O projeto de lei que regulamenta contratos de terceirização foi aprovado por uma diferença de 27 votos e encaminhado ao Senado Federal.
Quem disse sim à terceirização
Osmar Bertoldi (DEM)
Osmar Serraglio, Sergio Souza (PMDB)
Dilceu Spareafico e Ricardo Barros (PP)
Rubens Bueno e Sandro Alex (PPS)
Fernando Giacobo (PR)
Luciano Ducci (PSB)
Evandro Roman (PSC),
Alfredo Kaefer e Luiz Carlos Hauly (PSDB)
Alex Canziani (PTB) e
Leandre (PV).
Quem votou contra a terceirização
Aliel Machado (PCdoB)
Diego Garcia (PHS)
Hermes Parcoanello e João Arruda (PMDB)
Nelson Meurer (PP)
Assis do Couto e Enio Verri (PT)
Christiane Yared (PTN).


quarta-feira, 15 de abril de 2015

O SINDIPROENF LUTA CONTRA A TERCEIRIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM DO PARANÁ...

GANHAMOS ESTA AÇÃO EM NOME DE 100 AUXILIARES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM DO PARANÁ.
EXPLICAMOS: ESTES PROFISSIONAIS TRABALHAVAM COMO AUTÔNOMOS PARA UMA ASSOCIAÇÃO QUE TERCEIRIZAVA OS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM PARA O HOSPITAL DA POLICIA MILITAR DE CURITIBA.
FORAM DEMITIDOS SEM DIREITO A NADA, MAS NÓS ESTÁVAMOS LÁ, ED GARANTIMOS TODOS OS DIREITOS TRABALHISTAS PARA ESTES PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM VIA JUDICIAL.

PODER JUDICIÁRIO
Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho - 9.ª Região 08ª VARA DO TRABALHO DE CURITIBA
AVENIDA VICENTE MACHADO 400 6º PISO - CENTRO CEP: 80.420-010 Fone: (41) 3310-7008 e-Mail: vdt08@trt9.jus.br Autos nº 11676-2013-008-09-00-3 (Arrest) 0000525-30.2013.5.09.0008 Doc. nº 686.172/2015 - Fase: 31 - pág. 1.

CONCLUSÃO
Vistos, etc. Execução definitiva (fl. 648). 1- Expeça-se mandado de arresto de todos os valores ainda devidos pelo Estado do Paraná ao primeiro réu, devendo referidos valores serem depositados em conta judicial vinculada a estes autos, à disposição deste Juízo, nas datas dos vencimentos (mesmo que parcelados), ficando proibido de efetuar quaisquer pagamentos ao réu;
2- Intime-se o Estado do Paraná para que junte o contrato de prestação de serviços firmado com a primeira reclamada, bem como todas as faturas quitadas e que ainda estão em aberto em razão de tal contrato, devendo juntar aos autos também documentação comprobatória, caso não existam mais valores devidos à primeira ré;
3- Intime-se o sindicato-autor para que informe nos autos, no prazo de 60 dias, todos os dados necessários das empresas devedoras da primeira reclamada, para que o mandado de arresto seja confeccionado;
4- Exclua-se o réu Ednilson Barrichello Vedi como determinado na sentença à fl. 523; 5-
Concomitantemente, proceda-se o bloqueio de contas da 1ª ré através do convênio Bacen-Jud até o limite de R$700.000,00.
SAMANTA ALVES RODER Juíza do Trabalho Em 13/04/2015.
Andressa Brighente Técnico Judiciário Em 13/04/2015.
 Nesta data, faço os presentes autos conclusos a MM. Juíza do Trabalho desta Vara.
 Documento assinado com certificado digital por Samanta Alves Roder em 13/04/2015
Confira a autenticidade no sítio www.trt9.jus.br/processoeletronico -
Código: 3M2K-A215-5614-7892
Numero único CNJ: 0000525-30.2013.5.09.0008 FL. 649 37668196
AUTORIA Documento assinado com certificado digital por Samanta Alves Roder em 13/04/2015
Confira a autenticidade no sítio www.trt9.jus.br/processoeletronico - Código: 3M2K-A215-5614-7892 Numero único CNJ: 0000525-30.2013.5.09.0008 FL. 650 37668196 AUTORIA

quarta-feira, 11 de março de 2015

PARA REFLEXÃO: NA TOCAIA DO IMPITIMAM.

Empresários custeiam vaias a Dilma e pressionam funcionários a aderir

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

anti dilma capa

A campanha empreendida contra Dilma Rousseff está custando fortunas. Essa grana toda está sendo gasta em sofisticadas peças de áudio, vídeo e imagem, espalhadas aos milhares diária e incessantemente na internet, e na logística para o ato do próximo dia 15. As vaias que a presidente recebeu em São Paulo nesta terça-feira dão uma pista sobre quem paga.
Um leitor do Piauí, por exemplo, enviou ao Blog imagens dos kits anti Dilma que estão chegando ao seu Estado aos milhares, via correio, vindos de São Paulo – o que não chega a surpreender.
anti dilma 1

Note o leitor que panfletos, adesivos para carro, camisetas, bonés etc. chegam até os mais distantes pontos do país. Há o custo de produção dos kits, o custo do frete, o custo com distribuição local etc.
Tudo isso – e muito mais – custa dinheiro.
A orquestração via Whats Appp ou Facebook também custa dinheiro. Aliás, no FB textos, vídeos, posts e memes contra a presidente são “patrocinados”, ou seja, quem os produz paga àquela rede social para “promovê-los”.
Aquela página de revoltados com a vida e com Dilma, em vez de oferecer tratamento psicológico para seus frequentadores, gasta fortunas com promoção de suas postagens.
Para quem não conhece, veja, abaixo, como se consegue milhares de curtidas no FB.
anti dilma 2
Aliás, nada contra “patrocinar” conteúdo jornalístico para que seja mais lido. Muitos fazem isso, à direita e à esquerda. A maioria dos sites jornalísticos recorre a esse investimento. O problema é quem paga por isso, porque é bastante caro.
Recentemente, uma amiga cineasta me disse que a promoção de postagem que fez no FB de seu trabalho lhe custou mais de 500 reais. Agora veja quantas postagens patrocinadas têm essas páginas de “revoltados” por dia e faça a conta de quanto gastam em um mês.
De onde vem esse dinheiro? Estamos falando de milhões de reais, para uma campanha desse tamanho. Inclusive, o ato anti Dilma do próximo dia 15 terá caravanas vindo de cidades próximas às capitais. Farto material de som ou publicitários será distribuído.
Uma outra leitora envia mensagem com informações que dão uma bela ideia de quem está pagando pela festa golpista.
Eduardo,
boa tarde.
Tenho ficado preocupada com a hostilidade contra a Dilma e o PT.
O movimento Vem Pra Rua, segundo a carta capital vem sendo financiada pelos empresários.
Alguns amigos meus disseram que seus patrões estão fazendo de tudo para convocar os funcionários para a manifestação de 15/03. O mesmo aconteceu na empresa na qual trabalho, e minha irmã disse que a mesma coisa aconteceu na empresa na qual ela trabalha.
Essa pessoa disse que a Dilma não vai continuar no poder. Os empresários estão articulados e estão coagindo os funcionários a irem às ruas contra o PT e Dilma. São e-mails do patrão com a capa da Veja circulando nos e-mails, são mensagens no celular,  Whats App…
Isso vem acontecendo desde antes da eleição e foi por isso que ela [Dilma] quase perdeu, porque os patrões estão jogando tudo e coagindo os funcionários.
Coadunando-se com essa narrativa, as vaias que Dilma recebeu nesta terça-feira ao visitar o pavilhão de feiras do Anhembi, em São Paulo, aos gritos de “vaca” e “vagabuna”. Para quem não viu, o vídeo com as agressões.

O pavilhão de exposições é velho conhecido deste blogueiro. Em sua atuação comercial, participou de inúmeras feiras. Quem vaiou foram os funcionários que preparavam os estandes para a feira. Eu mesmo já participei dessas montagens.
Quem leu na internet que trabalhadores que montavam os estandes vaiaram Dilma pode pensar que são “peões” de macacão com martelos em punho que apuparam a presidente da República, mas não foi nada disso.
Como se vê no vídeo, são profissionais de vendas e seus patrões, ou seja, pessoas da classe média paulistana que votaram em Aécio Neves.
Ao contrário do que a mídia e a oposição tentam fazer crer não é quem votou em Dilma Rousseff que a está vaiando, são os que votaram no adversário dela em 26 de outubro do ano passado.
O eleitorado de Dilma, em parte, ficou descontente com medidas de ajuste fiscal ou com nomeação de ministros oriundos “do lado de lá”. Essas pessoas, irritadas, disseram ao Datafolha, ao fim de janeiro, seu descontentamento.
Conversava na segunda-feira com um blogueiro importante que está insatisfeito e ele me disse que se fosse entrevistado pelo Datafolha no mês de janeiro, avaliaria Dilma como “regular”. Conheço eleitores dela que, no janeiro fatídico em que sua popularidade despencou, no auge da irritação chegariam a classificá-la como ruim ou péssima.
Isso não significa que essas pessoas tenham mudado de opinião, que estejam dispostas a votar no PSDB ou que tivessem coragem de chamá-la de “vadia” ou “vagabunda”. Quem faz isso é quem já não gostava dela antes de se reeleger.
Todos se lembram de como Dilma foi vaiada diversas vezes nos novos estádios de futebol e até em outras partes antes de a campanha eleitoral começar, de quem eram os xingadores e de como a mera hipótese de o PSDB voltar ao poder, pouco depois, fez com que milhões votassem na presidente apesar de estarem insatisfeitos com ela.
Para entender o fenômeno, basta pegar uma das muitas análises de rede que há por aí para verificar que a hegemonia política dos anti Dilma viscerais está longe de se concretizar. Por exemplo, a do analista Fábio Malini, via Facebook, sobre redes sociais, que é bastante interessante.
anti dilma 3
O que se depreende dessa análise é que, à diferença do que tenta fazer parecer a mídia, os anti Dilma estão longe de ser maioria e, na hora do “pega pra capar”, o centro do gráfico, que no momento está neutro, pode escolher um lado e, por seu perfil, dificilmente seria o do PSDB.
Diante do exposto, está mais do que na hora de se fazer uma investigação jornalística séria sobre os financiadores do golpismo. Esses empresários estão mesmo tão convencidos de que Dilma faz mal ao país ou existem conchavos com partidos políticos e troca de favores, por exemplo, com o governo de São Paulo?

sábado, 7 de setembro de 2013

VEM VEM! SINDICATO DE ENFERMAGEM JÁ...

CARTA AOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DO ESTADO DO PARANÁ
O SINDIPROENF VEM A PÚBLICO PARA SE MANIFESTAR E SOLICITAR A TODOS QUE: FALEM AOS AMIGOS, FALEM AOS PATRÕES E A TODOS OS SINDICATOS ECLÉTICOS ESPALHADOS PELO PARANÁ E QUE AGLOMERAM NOSSA CATEGORIA.
O SINDICATO DOS AUXILIARES E TÉCNICOS EM ENFERMAGEM DO ESTADO DO PARANÁ DENOMINADO SINDIPROENF FOI FUNDADO DEFINITIVAMENTE PELA SUA CATEGORIA, PORTANTO INDEPENDEM DOS ATAQUES PROVENIENTES DOS SINDICATOS DA SAÚDE QUE CELEBRAM CORDOS COLETIVOS DE TRABALHO AOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DA INICIATIVA PRIVADA; REGIDOS PELA CLT.
SINDICATOS ESTES QUE NÃO FALAM A VERDADE E QUE UTILIZAM DO JOGO BAIXO PARA DENEGRIR A IMAGEM DA DIRETORIA ELEITA PARA REPRESENTAR OS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DO NOSSO ESTADO, FAZEM ISTO PELO DESESPERO DE VER ESTA CATEGORIA LIVRE PARA SE MANIFESTAR, LIVRE PARA LUTAR E PRINCIPALMENTE LIVRE PARA QUE TODOS POSSAM VER QUAL É O VERDADEIRO VALOR DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM QUE ATUAM NOS HOSPITAIS,  CLINICAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE.
PORQUE ESTES SINDICATOS NÃO VEM A PÚBLICO PARA FALAR AOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM QUE A JUSTIÇA DO TRABALHO DO PARANÁ JÁ RECONHECEU POR UNANIMIDADE O DIREITO DE ORGANIZAÇÃO SINDICAL PELOS AUXILIARES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM. MAS NÓS SABEMOS  PORQUE ELES ESCONDEM ESTA VERDADE! VOCÊ TAMBÉM SABE.
MAS NÃO ESCONDERÃO POR MUITO TEMPO, POIS A DECISÃO FINAL JÁ SE ENCONTRA EM ÚLTIMA INSTÂNCIA JUDICIAL.
A NOSSA BUSCA PELA LIBERDADE SINDICAL, É EXCLUSIVA E DE DIREITO! DIREITO DE MELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO, DE SALÁRIOS JUSTOS E DE RECONHECIMENTO PELA SOCIEDADE CIVIL E POLÍTICA DA NOSSA VALORIZAÇÃO COMO CATEGORIA DIFERENCIADA  POIS SEM ENFERMAGEM NÃO HÁ SAÚDE E MUITO MENOS SUS.

’A esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem; aindignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão; a coragem, a mudá-las. ’’

sábado, 20 de julho de 2013

VEM! VEM! 30 HORAS SÓ NA RUA




A MAIS DE QUINZE ANOS ESPERANDO A APROVAÇÃO DAS 30 HORAS PARA TODA A CATEGORIA DE ENFERMAGEM NO PAÍS! E O QUE ASSISTIMOS É SIMPLESMENTE O DESCASO DA CLASSE POLÍTICA COM A NOSSA DEMANDA. ATÉ QUANDO ATÉ QUANDO?
A IMPRESSÃO QUE ELES NOS PASSAM É: PAGAMOS PRA VER. PRA VER O QUE?
PARA VER A ENFERMAGEM NA RUA CAROS COLEGAS, INFELIZMENTE SÓ ASSIM NOS OUVIRÃO DOA A QUEM DOER.

PORTANTO ESTEJAMOS PREPARADOS, POR QUE SE NÃO NOS OUVEM! ISTO VAI ACONTECER. 

domingo, 8 de janeiro de 2012

MEUS CAROS COLEGAS LEIAM COM ATENÇÂO! SINDICATO JÁ...

SEXTA-FEIRA, 28 DE OUTUBRO DE 2011


TRT-4 EDITA SÚMULA EQUIPARANDO AUXILIARES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM

O Pleno do TRT da 4ª Região (RS) em sessão realizada na última sexta-feira (14), julgando incidente de uniformização de jurisprudência, entendeu pela edição de súmula acerca da possibilidade de serem deferidas diferenças salariais decorrentes de equiparação salarial, desvio de função ou acúmulo salarial entre auxiliares e técnicos de Enfermagem ainda que ausente formação em curso de técnico da profissão.

O incidente foi suscitado em processo que aguardava julgamento pela 7ª Turma do TRT-4, a única do RS que ainda adotava o entendimento de que necessária a formação em curso profissionalizante. Embora o art. 896, § 3º, da CLT e o Regimento Interno do TRT não prevejam a possibilidade de o incidente ser suscitado pelas próprias partes, os advogados da reclamante fundamentaram o incidente no art. 476, parágrafo único do CPC e no Regimento Interno do TST.

Os profissionais da Advocacia sustentaram que "a medida visava prestigiar o princípio das decisões colegiadas, norteador do Estado Democrático de Direito, e a diminuição do número de decisões judiciais dissonantes entre si". Em sua sustentação oral, a defesa da reclamante ressaltou "a dificuldade que os profissionais da Advocacia têm para explicar aos seus clientes decisões diferentes em casos idênticos, afirmando que a edição de súmula promoveria maior estabilidade jurídica".

O incidente de unoformização de jurisprudência foi promovido apenas após o TRT-4 ter enfrentado a discussão durante os últimos anos, ou seja, após a matéria ser plenamente debatida e estar amadurecida entre as nove Turmas julgadoras. *

Reclamante - Ivanizia Oribes da MotaAdvogados - Renato Kliemann Paese e Ingrid Renz BirnfeldReclamado - Hospital Nossa Senhora da Conceição.* Tramitação em primeiro grau:Proc. nº 00207-2007-026-04-00-0, da 26ª Vara do Trabalho de Porto Alegre/RSJuíza da sentença: Carla Sanvicente Vieira* Tramitação em segundo grau:Proc. nº 00207-2007-026-04-40-4, da 4ª TurmaRelatora no TRT-4: Denise Maria de Barros.

Assim, e porque a própria Lei nº 7.498/86 - que disciplina as atividades dos profissionais de Enfermagem - permite que os auxiliares executem tarefas de técnicos ainda que não são habilitados em curso específico, foi aprovada a Súmula nº 48, com a seguinte redação: "a ausência de habilitação formal como técnico de Enfermagem, por si só, não é óbice ao pleito de equiparação salarial, diferenças salariais por desvio de função ou 'plus' salarial formulado por auxiliares de Enfermagem".

Embora suscitado em reclamatória trabalhista promovida contra o Grupo Hospitalar Conceição, a súmula foi aprovada sem restrições e gera efeitos ampliados no âmbito regional ou seja, merece aplicação em casos semelhantes no âmbito estadual, em relação a todas as instituições médico-hospitalares. O entendimento adotado pelo TRT-4, ainda que expresse o senso majoritário das Turmas do TST, inova ao editar súmula, já que aquele tribunal superior ainda não possui orientação jurisprudencial ou súmula disciplinando a matéria. (Incidente suscitado nos autos do processo nº 00207-2007-026-04-00-0 - RO)

Fonte: JUSBRASIL ·

SINDICATO DOS TÉCNICOS E AUXILIARES DE ENFERMAGEM DO PARANÁ

SINDICATO DOS TÉCNICOS E AUXILIARES DE ENFERMAGEM DO PARANÁ
ALÔ BRASÍLIA 30 HORAS JÁ